| | | | | |
FUNÇÕES SUPERIORES DO CÓRTEX CEREBRAL

 

Anatomia Fisiológica Cortical

- O córtex é composto por aproximadamente 100 bilhões de neurônios, com seus corpos celulares fixos no córtex cerebral ou substância cinzenta, medindo cerca de 2-5mm de espessura.

- Os tipos celulares presentes no córtex cerebral são:

1. Células Granulares ou Estreladas – compõe os interneurônios.

2. Células Fusiformes (originam fibras eferentes do córtex cerebral).

3. Células Piramidais (originam fibras eferentes do córtex cerebral).

 

- O córtex convencional possui 6 camadas de células enumeradas de I a VI compostas da seguinte forma:

IV: fibras de aferências (penetram o córtex trazendo informações).

I e II: fibras de associação com o sistema reticular ativados ascendente.

II e III: são fibras que projetam-se para o córtex contralateral (fibras de associação).

V: dão origem às fibras eferentes, isto é, que deixam o córtex cerebral indo para o tronco encefálico, medula espinhal e núcleos da base.

VI: são fibras que partem desta zona em direção ao tálamo.

 

Obs. Perdemos mais funções quando lesionamos o tálamo quando comparado às lesões ao próprio córtex cerebral. Fibras de associação entre o córtex e o tálamo são denominadas: fibras córtico-tálamo-corticais.

 

O córtex sensitivo é também denominado córtex granular por possuir camadas celulares com abundantes grânulos, responsáveis pela recepção das fibras nervosas. Já o córtex motor possui abundância das células piramidais responsáveis pelas eferências motoras corticais.

 

Funções Corticais Específicas

 

- Penfield e Rasmussen descreveram uma série de áreas funcionais corticais através de experimentos de ablações ou ainda eletroestimulações verificando a existência de um mapa funcional cerebral. Mais tarde, Broadman organiza estas regiões dando números a elas:

 

 

São caracterizadas áreas primárias, secundárias além de áreas de associação cortical onde até hoje utilizamos para localizar funções corticais.

 

Áreas de Associação Cortical

- São áreas consideradas terciárias: recebem influência de áreas primárias e secundárias além de outras regiões corticais.

- Área de Associação Parietooccipitotemporal: área de Broadman 39, 40; responsável por análises de coordenação espacial do corpo bem como responsável pela área de compreensão da linguagem ou área de Wernicke.

- Área de Associação Pré-Frontal: área de Broadman 10; responsável pelo planejamento motor, pensamentos de planejamento, memória de trabalho, contenção comportamental (comunicando-se com o complexo amigdalóide) bem como área motora da fala ou área de Broca – Área de Broadman 44.

- Área de Associação Límbica: situada no pólo anterior do lobo temporal, ficando na porção ventral do córtex frontal e giro do cíngulo. Responsável por padrões do comportamento, emoções e motivações.

- Área de Wernicke: muito desenvolvida no hemisfério dominante (95% das pessoas, o hemisfério dominante é o esquerdo); responsável pela inteligência cognitiva sendo áreas de associação terciária. Nas dislexias, os indivíduos conseguem ver as palavras mas não conseguem interpretá-las. O giro angular envia informações visuais para a área de Wernicke permitindo a visão mas não a interpretação.

 

Hemisfério Dominante

- Aquele no qual a área de Wernicke encontra-se mais desenvolvida, bem como o giro angular.

- Ao nascimento, o hemisfério esquerdo (quando dominante) é maior que o direito exercendo a dominância.

- A área de Broca também é mais desenvolvida no hemisfério dominante.

- O corpo caloso é a maior comissura do cérebro humano sendo responsável pela conexão interhemisférica.

 

Função da Área de Wernicke no Hemisfério Não-Dominante

- O hemisfério não dominante possui algumas funções relacionadas com interpretações mais subjetivas, emocionais como a interpretação de uma música, de experiências não verbais como gestos e expressões além de entonação da voz.

 

Funções Intelectuais da Área Pré-Frontal

- Os danos cerebrais mais complexos são aqueles que envolvem a área de Wernicke comparados a danos que envolvem a área pré-frontal.

- Lesões na área pré-frontal cursam com:

- Resolução de problemas complexos;

- Incapacidade de resoluções de tarefas seqüenciais (as pessoas tornam-se facilmente distraídas);

- Incapacidade de realizar tarefas paralelas ou mesmo de aprendê-las;

- Diminuição da agressividade;

- Respostas sociais inadequadas tais como a perda da noção da moralidade e aumento da impulsividade.

- Memória de trabalho: esta região é caracterizada por possuir as informações utilizadas mais rotineiramente com capacidade ainda de realização prognóstica, planejamento futuro e decisão sobre a melhor resposta.

- Afasias de Wernicke: incapacidade de formulação de pensamentos cognitivos, racionais;

- Afasia Global: acometimento do giro angular e da área de Wernicke;

- Afasia de Broca: trata-se de uma incapacidade de pronunciar as palavras na seqüência e no ritmo adequado – incapacidade de coordenação motora.

- Afasia de Condução: acomete o fascículo arqueado, impossibilitando a coordenação entre o raciocínio e a expressão motora das palavras – incoerência entre a área de Wernicke e a área de Broca.

 

Função do Corpo Caloso e da Comissura Anterior

- O corpo caloso é o responsável pela interconexão hemisférica, levando informações do hemisfério esquerdo para o direito e vice-versa.

- A comissura anterior possui comunicação direta com o complexo amigdalóide, envolvida, portanto, no comportamento emocional.

- O corpo caloso possui um caráter mais racional e cognitivo comparado às informações transportadas pela comissura anterior.

 

Pensamento, Consciência e Memória

- O pensamento resulta de um “padrão” de ativação cortical decorrente da estimulação de muitas regiões do sistema nervoso ao mesmo tempo e de forma sincrônica. O pensamento esta relacionado com o componente racional do neocórtex bem como com componentes emocionais provenientes do sistema límbico, núcleos septais, áreas de associação, tronco encefálico, etc.

- Os mecanismos de memória foram discutidos no capítulo anterior e correlacionados ao sistema límbico. O tálamo parece ser um local de depósito de memória a longo prazo. Sendo que as influencias positivas (vias da recompensa – transmitidas pelo feixe prosencefálico medial) e negativas (vias da punição – transmitidas pela substância cinzenta periventricular) participam ativamente do processo de consolidação da memória.

- Os três estágios do aprendizado envolvem: aprendizado cognitivo (entendimento inicial), associativo (refina e associa os novos objetos aprendidos com aqueles já armazenados) e, finalmente o aprendizado autônomo (involuntário).

- As memórias procedimentais como discutidos no capítulo anterior, são objetos atribuídos ao cerebelo e ao striatum.

Vias de Associação Cortical

Como podemos observar o córtex cerebral possui ampla conexão com outras regiões cerebrais (neurônios de projeção), com o hemisfério contralateral (neurônios comussurais) e com diversas regiões do hemisfério ipsilateral (fibras de associação cortical).

Conexões Eferentes do Córtex Cerebral.

A figura acima mostra a projeção de fascículos ou feixes de fibras que interconectam regiões de um mesmo hemisfério cerebral. As fibras que fazem esse papel são denominadas fibras arqueadas ou fibras longas de associação.

 

Mecanismos Cerebrais da Aprendizagem

Tálamo e Irradiações Corticais

O tálamo envia ampla informação sensitiva, motora e autônoma do tronco encefálico e da medula espinhal para o córtex cerebral. Núcleos talâmicos estão reciprocamente conectados ao córtex. Núcleos talâmicos específicos projetam-se para regiões circunscritas do córtex: 1. Núcleos de projeção sensitiva: somatossensorial, trigeminal, corpo geniculado medial (auditivo) e lateral (visual);

2. Núcleos motores: relacionados ao cerebelo e núcleos da base;

3. Núcleos autonômicos: relacionados ao sistema límbico – giro do cíngulo e córtex frontal;

4. Núcleos relacionados às áreas de associação: lobo parietal;

5. Núcleos talâmicos não específicos: núcleos intralaminares com conexões difusas por todo o córtex cerebral como também para os próprios núcleos talâmicos.

Alguns núcleos talâmicos, como o núcleo reticular do tálamo, ajudam a regular a intensidade da excitabilidade das vias – por exemplo na modulação da dor. Lesões talâmicas podem levar a chamada síndrome talâmica que cursa com dor neuropática cruciante.

 

As vias demonstradas abaixo referem-se ao “Circuito da Consciência” -

Confronto entre os princípios teóricos da fisiologia psíquica delineada por Sigmund Freud e os conceitos atuais da neurofisiologia moderna – “Circuito da Consciência”.