| | | | | |

GLÂNDULAS ANEXAS DO TUBO DIGESTIVO

    Dentre as glândulas anexas, daremos destaque: glândulas salivares, pâncreas, fígado e a vesícula biliar. A função das glândulas salivares é umedecer o alimento e lubrificar a cavidade oral, iniciando assim, a digestão.
    O pâncreas produz enzimas digestivas que irão agir no conteúdo do intestino delgado e secreta hormônios (insulina e o glucagon). O fígado produz bile, importante para a digestão de lipídios; importante papel no metabolismo dos hidratos de carbono, lipídios e proteínas; inativa e metaboliza muitas drogas. A vesícula biliar reabsorve água da bile e a armazena (bile).

(1) Glândulas Salivares:
    - Pequenas: esparsas pela cavidade oral.
    - Grandes (3 pares): parótida, submandibular e sublingual (compostas por adenômeros).
    - Unidade glandular: porção secretora (células epiteliais glandulares) e ductos intercalares, estriados e excretores.
    - Nota-se células mioepiteliais.
    - Revestimento: cápsula de tecido conjuntivo (colágena) originando septos interlobulares, que por sua vez, originam os lóbulos glandulares.
    - Vasos e nervos atingem a glândula pelo hilo.

a) Parótida:
        - Glândula acinosa composta.
        - Porção secretora: exclusivamente células serosas (produzem amilase).

b) Submandibular:
        - Glândulas tubuloacinosas compostas.
        - Porção secretora: células mucosas (claras) e serosas (escuras).

c) Sublingual:
        - Glândula tubuloacinosa composta.
        - Predomínio de células mucosas.

 Função:
        Glândulas salivares secretam saliva que umedece e lubrifica a boca e os alimentos (células mucosas).
        Secretam amilase salivar cuja função é digerir os glicídios.

Obs. Saliva contém IgA-secretora (SIgA) – sua função é defender o organismo contra a entrada de microorganismos estranhos.

Abaixo a disposição anatômica dessas glândulas salivares.

(2) Pâncreas:
    - Glândula mista:
        - Endócrina = ilhotas de Langerhans
        - Exócrina = glândula acinosa composta ---- ducto intercalar forma células centroacinosas (claras).

    - Há septos de tecido conjuntivo.
    - Fisiologia:
        - Pâncreas exócrino: produz íons, água, tripsinogênio, lipase e amilase
        - Controle a secreção pancreática: ação dos hormônios (secretados pelas células enteroendócrinas) = secretina e colecistocinina.

Abaixo um desenho ilustrando a constituição de um ácino do pâncreas exócrino.

Pâncreas humano. Vista anatômica.

(3) Fígado:
    - Um dos maiores órgãos do corpo humano.
    - Recebe cerca de 70% do sangue corpóreo através da veia porta e artéria hepática.
    - Através da veia porta chega o material absorvido nos intestinos.
    - Funções: Absorver, metabolizar, neutralizar e eliminar substâncias tóxicas através da bile.

a) Constituição:
    - Formado por células hepáticas.
    - Formam-se lóbulos hepáticos (poliédricos).
    - Lóbulos hepáticos são unidos exceção aos cantos destes poliédros onde há tecido conjuntivo e vasos = ESPAÇO PORTA (tríade: formada por uma arteríola, ramo da veia porta e um ducto biliar).
    - Entre as placas de células hepáticas encontramos os capilares hepáticos:
    - Formados por células endoteliais.
    - Possuem macrófagos = célula de Kupffer.

    - Quebra hemoglobina em bilirrubina.

Obs. Estreito espaço entre a parede capilar e o hepatócito = Espaço de Disse. (Este contém célula armazenadora de lipídios ---- Vitamina A).

    - No centro do lóbulo hepático encontra-se ainda, a Veia Centrolobular.

b) Circulação hepática:
    - Ao contrário da maioria dos órgãos, o fígado recebe sangue venoso através da veia porta além do sangue arterial pela artéria hepática.

Obs. Capilares sinusóides recebem sangue arterial e venoso misturando-se.

Fisiologia: sangue recolhido pela veia centrolobular parte em direção a veia hepática e logo após atinge a veia cava inferior.
Obs. Como o sangue vai da periferia ao centro, há diferenças de comportamento entre células centrolobulares e perilobulares (toxicidade).

c) Células hepáticas:
    - Chamadas de hepatócitos.
    - Poliédricas (6 ou + faces).
    - Abundância em RER e REL.
    - Grande capacidade regenerativa.
    - Sintetizam albumina, protrombina e fibrinogênio.
    - Fazem contato físico:
        - Com parede capilar;
        - Com outro hepatócito;
        - Com outro hepatócito só que formando um canalículo biliar (coletores de bile).

    Obs. Canalículo biliar desemboca num canalículo de Hering dirigindo-se então para o espaço porta.
Abaixo um esquema tridimensional do fígado. CB = canalículo biliar; P = parede de hapatócito; H = ducto de Hering; K = célula de Kupffer; L = células armazenadoras de lipídios e S = sinusóides.

    - Histopatologia:
        - Célula hepática:
(1) Síntese protéica ---- Albumina, protrombina, fibrinogênio e lipoproteínas.
(2) Secretam bile ---- ácidos biliares e bilirrubina.
(3) Acumulam metabólitos ---- lipídios e glicídios.
(4) Função metabólita ---- processo de formação molecular a partir de substâncias diversas = gliconeogênese (formação de glicogênio).
(5) Desintoxicação e Neutralização ---- realiza oxidações, acetilações de moléculas tóxicas.

Obs. Cirrose = constante regeneração celular com posterior aumento de tecido conjuntivo.

(4) Vesícula Biliar:
    - Presa no interior do fígado.
    - Armazena e libera (quando necessário) a bile.
    - Histofisiologia: Acumula bile absorvendo sua água (aumenta concentração biliar).

Abaixo observe o esquema de um corte anatômico do fígado humano.